ACB- Academia Científica do Brasil

AS SETENTA SEMANAS DE DANIEL

AS SETENTA SEMANAS DE DANIEL

 Entre todas as profecias da Bíblia, as Setenta Semanas de Daniel merecem destaque especial. Nelas contém um enigma relacionado ao passado, ao presente e ao futuro. Sem ela era impossível desvendar a Escatologia Bíblica. A compreensão destas semanas é indispensável para quem pretende entender a Escatologia Bíblica.

            De antemão leiamos Daniel (9: 24 – 27): “Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo e sobre a tua santa cidade, para extinguir a transgressão, e dar fim aos pecados, e expiar a iniquidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e profecia, e ungir o Santo dos santos. Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, sete semanas e sessenta e duas semanas: as ruas e as tranqueiras se reedificarão, mas em tempos angustiosos. E, depois das sessenta e duas semanas, será tirado o Messias e não será mais; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas assolações. E ele firmará um concerto com muitos por uma semana; e na metade da semana, fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares; e sobre as asas das abominações virá o assolador, e isso até a consumação; e o que estar determinado será derramado sobre o assolador.”  

          

  1. A QUEBRA DO ANO SABÁTICO

 

Um dos mais rigorosos mandamentos da lei era a guarda do ano Sabático (Lv 25: 1 – 7). Este mandamento consiste em que os filhos de Israel teriam que trabalhar seis anos consecutivos, mas quando chegassem ao sétimo ano eles não poderiam trabalhar. Durante os doze meses do sétimo ano eles não poderiam lavrar a terra nem plantar e nem colher. Porque ela teria que se descansar - por um ano completo.

Mas os hebreus desprezaram este mandamento muito cedo. Desde a sua monarquia até a sua dispersão, a qual deu um período 490 anos. Eles não guardaram esse importante mandamento - e trabalharam lavrando a terra todos os anos.

Se Deus fosse homem, Ele iria fazer a conta: “Mas quantos anos sabáticos os hebreus me deve mesmo?! Eles trabalharam 490 anos consecutivos. E 490 divididos por 7 são igual 70. Haá eles deve-me 70 anos!” Mas, como Deus é Deus, Ele já definiu: ao trabalhar 490 anos eles trabalharam durante os meus 70 anos sabáticos!

Deus como é justo - e para descansar a terra o Senhor apreendeu os judeus por 70 anos na Babilônia (2º Cr 36: 21; Jr 25: 11, 12; 29: 10).

 

  1. A INTERCESSÃO DE DANIEL

 

O profeta Daniel lendo e estudando o Livro do profeta Jeremias (Dn 9: 2), entendeu que os judeus iriam ficar escravizados na Babilônia por setenta anos. E estavam vencendo os setenta anos, e nada estava acontecendo para que eles pudessem ser livres daquela terrível escravidão.

Então o profeta começou a orar e a jejuar para que Deus viesse a libertar o seu povo. Daniel quis saber também como seria o futuro da sua nação e quando chegaria o Reino de infinitas bênçãos prometidas por Deus (Dn 9: 3 – 19). E a sua interseção durou vinte e um dias. Por três semanas Daniel orou e jejuou (Dn 10: 2 – 21).

No mesmo momento que Daniel que começou a orar, Deus lhe deu a resposta. Mas um demônio detém o anjo que traria a respectiva resposta. Mas ele continuou a orar r a jejuar, então o Senhor envia outro anjo forte para ajudá-lo. Em fim a sua resposta chega até as suas mãos (Dn 10: 11 – 14). O anjo que Deus enviara é o anjo Gabriel.

E com respeito à escravidão já estava se findado. Mas, além dos 70 anos da escravidão, Deus tinha mais setenta semanas para os judeus.

Semana no hebraico não quer dizer obviamente sete dias – mas tão somente sete. Qualquer sete referindo a período do hebraico é semana. Segundo todos os textos paralelos a este, estas semanas eram de ano (Gn 29: 27; Lv 24: 8). Então, setenta semanas são iguais a 490 anos (70 x 7 = 490).

 

  1. O OBJETIVO DAS SETENTA SEMANAS DE DANIEL

 

Na escravidão Babilônica, Deus acerta com os judeus os Setenta anos Sabáticos para descansar a terra. Mais ainda lhes faltavam os 490 anos que eles viveram irregular com o Todo Poderoso. Quando cumprisse esse período o Senhor cumpriria as maiores bênçãos para os salvos no mundo.

 “Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo e sobre a tua santa cidade, para extinguir a transgressão, e dar fim aos pecados, e expiar a iniquidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e profecia, e ungir o Santo dos santos” (Dn 9: 24).

E o objetivo destas semanas é que no final delas seis (6) fatores importantes irão acontecer:

  1. Para extinguir a transgressão,
  2. E dar fim aos pecados,
  3. E expiar a iniquidade,
  4. E trazer a justiça eterna,
  5. E selar a visão e profecia,
  6. E ungir o Santo dos santos.

Somente no Milênio pode dar inicio ao cumprimento destas imensuráveis bênção

 

  1. DIVISÕES DAS 70 SEMANAS, OU DOS 490 ANOS

As setenta semanas de Daniel são divididas em três etapas. A saber: “Sete Semanas, Sessenta e duas Semanas e uma Semana”.

 

  • SETE SEMANAS: “Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, sete semanas” (Dn 9: 25). Sete semanas são iguais: 7 x 7 = 49. Esta parte refere-se a um período de 49 anos que iniciou em 14 de março 445 a.C. com a “saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém” (Ne 2: 4 – 9); e estendeu até a inauguração da edificação de Jerusalém.

 

  • SESSENTA E DUAS SEMANAS: “E sessenta e duas semanas”. Sessenta e duas semanas são iguais: 62 x 7 = 434. E fala a respeito do período que iniciou na com inauguração de Jerusalém e se estendeu até por volta do ano 30 – 33 d.C. na época do batismo de Jesus, que aproximadamente, 434 anos.
  • SETE SEMANAS E SESSENTA E DUAS SEMANAS: “Sete semanas” são iguais: 7 x 7 = 49. Um período de 49 anos. Mais “sessenta e duas semanas” são iguais 62 x 7 = 434. É um período que duraram 434 anos. Unindo os dois períodos, usando a linguagem “anos”, temos: 49 anos, mais 434 anos que é igual a 483 anos (49 + 434 = 483). Justamente nesta época os judeus não receberam a Jesus, mas mandou crucificá-lo (João 1: 11, 12); “faltando 7 anos!” para os 490 anos.

Usando o linguajar “Semanas”, temos: 7 semanas, mais 62 semanas, que são iguais a 69 semanas (7 + 62 = 69); mas nesta época “Cristo veio para o que era seu, e os seus não o receberam” (João 1: 11, 12). Então o Senhor fora aos gentios e eles o recebeu - com isso nasceu à igreja, faltando uma semana para as 70 semanas.

  • UMA SEMANA: ”E ele firmará um concerto com muitos por uma semana” [Dan 9: 27 (a)]. Eis aqui a semana, ou os sete anos que faltavam. Essa semana é dividida em dois períodos. Como os judeus quebraram a Aliança com o Salvador, Ele fez uma Aliança com Igreja. Assim Deus parou de tratar com os judeus faltando essa semana, ou sete anos. Então, quando Cristo Arrebatar a sua igreja, ou melhor, quando não haver mais a igreja na terra, Deus voltará a tratar com os judeus. Como só falta essa semana para eles, portanto, após a tirada a igreja da terra inicia a referida semana, a Septuagésima Semana de Daniel, a qual se trata da Grade Tribulação.

Semana que é dividida em duas partes, ou dois períodos (Dn 9: 27). O primeiro período se chama “O Tempo da Falsa Paz”, que durarão acerca de três anos e meio. E o segundo período é denominado: “O Tempo da Grande Tribulação, ou Aflição”, que também durarão aproximadamente três anos e meio.

 

Adquire  a Escatologia completa: 

 

clique no ícone abaixo:

Compre aqui o livro 'Escatologia Bíblica'