ACB- Academia Científica do Brasil

O TRIBUNAL DE CRISTO

O TRIBUNAL DE CRISTO

PARA BACHARELADO EM TEOLOGIA CLIQUE AQUI

PARA GRADUAÇÃO E PÓS CLIQUE AQUI

 

O Tribunal de Cristo é uma Corte onde a igreja será julgada. Portanto, é sobre quando, onde e como a Noiva do Cordeiro será avaliada, que vamos tratar neste capítulo. A terminologia, Tribunal de Cristo [do grego é “Bématos tou Chiristou” (Bematos tou Chiristou)]. E significa, corte retribuitiva pelos trabalhos divinos. Os julgamentos neste Tribunal terão como base a Justiça Divina.

Este assunto é de suma importância, visto que, nele consiste a retribuição, ou a recompensa do crente fiel. Porque qual é o trabalhador que emprega em uma empresa e não se preocupa com quando, quanto e onde irá receber o seu salário? E, todavia, é através do estudo sobre o Tribunal de Cristo, é que aprendemos como será, onde e quando acontecerá esse Tribunal. Não somente isto, mas, também como devemos proceder para recebermos as nossas recompensas, ou melhor, o nosso galardão.

O crente que não se preocupa com o seu julgamento divino, ele pode ser, até mesmo, discípulo, mas, não servo do Senhor. Porque é como servo que prestamos a Deus um serviço. E a salvação é realmente, pela Graça, mas o galardão não. Ele é pelas obras. Se não praticarmos as obras conforme o Todo Poderoso exige de nós, perderemos o galardão. E sem ele não poderemos exercer funções com Cristo, após o Arrebatamento da igreja. Portanto, não podemos chegar com esse prejuízo na Gloria.

Alguns fatores são responsáveis por alguém não se preocupar com Tribunal de Cristo. A saber: Falta de fé; Falta de Interesse com a causa divina; Não se importar com o bem estar da Obra de Deus; Frieza espiritual; E não se engajar nos Planos do Salvador.

Mas com esta Matéria, espero que cada leitor venha conhecer, entender, dominar e acreditar no Tribunal de Cristo. Com isso, venha praticar obras dignas de galardões. Para que a Obra de Deus seja mais beneficiada e lá Céu, cada salvo, venha ser recompensado.

Neste riquíssimo capítulo nós vamos responder com muita base bíblica e precisão, oito perguntas - A saber: O Que é o Tribunal de Cristo? Quando será o Tribunal de Cristo? Onde será o Tribunal de Cristo? Para Que o Tribunal de Cristo? O Que é a Recompensa dos Salvos? Como Conquistar os Galardões? Como Será o Procedimento do Julgamento? Para que Serve os Galardões?

 

  1. O QUE É O TRIBUNAL DE CRISTO?

 

O Tribunal de Cristo é um local onde a Igreja será julgada. Este Tribunal divino terá Cristo como o Supremo Juiz, por Excelência (Jo 5: 22, 27, 30). Neste julgamento não consiste em perdição. Todos os que forem privilegiados em participar deste evento, foram arrebatados, portanto, já são salvos.

 

  1. QUANDO SERÁ O TRIBUNAL DE CRISTO?

 

                 Segundo a interpretação bíblica aceita por mais de setenta por cento (70 %) dos evangélicos e da maioria dos teólogos; a saber, os Pre- tribulacionistas, o Tribunal de Cristo iniciará logo depois do Arrebatamento da Igreja e antes das Bodas do Cordeiro. Assim que a igreja for arrebatada, o próximo evento que acontecerá com a Noiva do Cordeiro, é o Tribunal de Cristo. Esta teoria defende que o Arrebatamento da Igreja se dar antes da Grande Tribulação. Esta é a crença defendida pela Igreja Assembleia de Deus e por várias outras igrejas, especialmente, as pentecostais.

 

  1. ONDE SERÁ O TRIBUNAL DE CRISTO?

 

As Epístolas - A parte da Bíblia Sagrada que é responsável pelas explicações de todo o Antigo Testamento, de todos os Evangelhos e de Atos dos Apóstolos. Os teólogos as chamam de Teologia Natural. Ao estudá-las aprendemos: “Porque tudo o que dantes foi escrito, para o nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança” (Rm 15: 4). Conforme este ensinamento de Paulo, as coisas escritas no Antigo Testamento, nos trás ensinamentos preciosos – Ensinos que proporcionam esperanças. E para reforçar esta verdade, o escritor aos Hebreus também registrou: “PORQUE tendo a lei a sombras dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas”, [Hb 10: 1 (a, b)]

Acabamos de ver, nesta passagem, que as coisas escritas na lei, são sombras dos bens futuros. Isto quer dizer que tudo o que nela vemos é profecia de algo que se cumprirá no futuro. Ela denota acontecimentos escatológicos.

Então, vamos entender onde ocorriam os julgamentos no Antigo Testamento, para compará-los com os julgamentos escatológicos. Analisaremos:

Noé recebeu o elogio de Deus, à entrada da Arca (Gn 7: 1);

Sara recebeu a grande promessa, através do Anjo do Senhor, à porta da tenda (Gn 18: 10);

Ló como era juiz, assentava-se à porta de Sodoma (Gn 19: 1);

Os sodomitas receberam suas sentenças à porta da casa de Ló (Gn 19: 10 – 13);

Quando um servo hebreu queria permanecer servindo ao seu senhor, o ritual de sua permanência era efetuado à porta da casa (Dt 15: 17);

Boas e os anciões de Israel assentaram-se à porta da cidade para julgar a causa Rute (4).

Resumindo “Segundo estas passagens bíblicas, tudo indica que o Tribunal de Cristo acontecerá à porta do Terceiro Céu; à entrada da Glória”. Não será na terra e nem no Céu, mas, na porta, na entrada.

 

  1. PARA QUE O TRIBUNAL DE CRISTO?

Ninguém é melhor do que o apóstolo Paulo para responder esta pergunta: “Porque todos nós devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal”, (2ª Co 5: 10).

Definição: Para que o Tribunal de Cristo? Ora, “Para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal”. No Tribunal de Cristo seremos recompensados, devido a uma boa obra. Ou punidos mediante a uma má obra. Neste Tribunal não se trata de salvação, ou de perdição. Todos os que forem julgados nele, serão salvos. Ele se trata de retribuição e de cobrança.

Este julgamento só procede, a Igreja. O Tribunal de Cristo é exclusivo a ela, ou melhor, aos salvos no Novo Testamento. Nele acontecem os acertos de contas. Neste julgamento, perdemos, ou ganhamos galardões.

 

  1. O QUE É A RECOMPENSA DOS SALVOS?

 

Esta recompensa não consiste na salvação de nossas almas. E nem em nossas vestimentas de linho fino, puro e resplandecente (Ap 19: 8,14). A nossa moradia no Céu, e as nossas vestimentas, são as nossas heranças. Eles já pertencem aos salvos (Rm 8: 17).

Elas são o pagamento por nossas atitudes. Veja o que Cristo diz com respeito as nossas recompensas: “E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra” (Ap 22: 12).

Galardão que dizer prêmio, retribuição, recompensa, e etc.. E quando Cristo vir Arrebatar a sua Igreja amada, Ele trará consigo as nossas recompensas. Diante desta imensurável bênção, Paulo nós exortou: “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na Obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor” (1ª Co 11: 58).

Estes galardões são em forma de coroas. Mas lembre-se: é preciso pagar por elas. Nós podemos conquistar, pelo menos, sete tipos de recompensa, a saber: “Coroa de Alegria, Coroa da justiça, Coroa da Vida, Coroa Incorruptível, Coroa de Gloria, Galardão de Profeta e Galardão Equivalente”.

 

CARACTERÍSTICAS DAS COROAS:

 

  • COROA DE ALEGRIA: Estas coroas, ou estas recompensas são para quem ganha almas para Cristo (Sl 126: 6; Jo 4: 36 – 38; Fl 4: 1). Quem ganha almas sábio é (Pv 11: 30).

 

  • COROA DA JUSTIÇA: Este maravilhoso prêmio é para quem tem fome e sede de justiça (2ª Tm 4: 8). É por isto que os tais são bem aventurados (Mt 5: 6).   Esta recompensa, a Coroa da Justiça, é mais especialmente, para quem desfruta com convicção da Justiça de Cristo. E que esta Justiça seja vista por todos os que nos rodeiam. E eles mesmos dão bom testemunho de nós (1ª Co 6: 20). Galardão de justo: Nós não somos justos por causa de algo que façamos na igreja. A nossa justiça chama-se; JESUS DE NAZARÉ. Não há uma possibilidade do ser humano justificar a se próprio diante de Deus. A nossa justiça consiste no Sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário (Rm 8: 33). Todos quantos tem a convicção da sua salvação confiando plenamente na Morte e na Ressurreição do Salvador, receberão Galardão de Justo, a Coroa da Justiça (Mt 10: 41).

 

  • COROA DA VIDA: Este prêmio é destinado àqueles que morreram por amor a Cristo e ao Evangelho (Tg 1: 12). Todos os que, corajosamente, arriscam a sua vida trabalhando para o Senhor, ou seguindo - O, receberão também a Coroa da Vida (Mt10: 39).

 

  • COROA INCORRUPTÍVEL: Esta honrosa coroa é destinada aos que são tentados a pecarem, e eles não pecando, serão recompensados com esta coroa (1ª Co 9: 25). Especialmente, quando a pessoa for tentada à corrupção, e através do amor a Cristo e ao Evangelho resiste-a.

 

  • COROA DE GLÓRIA: Estas coroas serão destinadas aos responsáveis pelas igrejas. Elas são para os que pastoreiam (1ª Pd 5: 1 – 5; 1ª Ts 2: 19). Não se trata de uma tarefa fácil pastorear, mas os pastores que permanecerem firmes até ao fim, serão recompensados com a Coroa de Glória.

 

  • GALARDÃO DE PROFETA: Este tipo de galardão é destinado aos Profetas (Mt 10: 41). Não é fácil ser um portador da genuína mensagem de Deus. Mas para todos os que, corajosamente, transmitem tão somente, aquilo que Senhor ordenou sem diminuir, e nem aumentar, serão recompensado com o galardão de Profeta.

 

  • GALARDÃO EQUIVALENTE: Todos os que contribuem com amor e fé para um autêntico servo de Deus, receberão galardão como o dele (Mt 10: 41, 42). Então vale realmente apena contribuir, com alegria para a igreja, e aos missionários. Portanto, faz algo com amor para os obreiros do Senhor.

 

Com base nesta última referência bíblica, quantas pessoas que não são pastores, mas que ganharão galardão de pastor; quantas pessoas que não são missionárias, mas que receberão galardão de missionário; quantas pessoas que não são profetas, mas que ganharão galardão de profeta e sucessivamente.

“Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na Obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor” (1ª Co 11: 58).

 

  1. COMO CONQUISTAR OS GALARDÕES?

 

A Salvação das nossas almas e os milagres são de graça, ou pela Graça (Ef 2: 8, 9; Mt 10: 8). Mas quanto aos galardões não, eles são pelas obras (Ap 22: 12). É preciso pagar por eles.

Tudo o que fazemos com fé (Hb 11: 6) e amor (1ª Co 13: 1-3) para Obra de Deus, vale galardão. E Deus não olha para a quantidade que nós Lhe oferecemos. Ele olha é para: o nosso sacrifício (Mc 12: 42); espontaneidade; e alegria nas contribuições (2ª Co 9: 6 – 8).

Esta é a causa de Deus ter aceitado a oferta de Abel e rejeitado a oferta de Caim (Gn 4: 3 -7). É porque Abel contribuía com fé, amor e era voluntário. E Caim contribuía forçado. Talvez pelo fato de pais forçarem-no. Portanto, tudo quanto você fizer para Deus, faça primeiramente, com amor, e logo em seguida faça com fé. E não se esqueça de fazer com muita alegria.

Você fazendo parte de uma igreja, contribua para ela com espontaneidade. Não se preocupe com o que o seu líder irá fazer com dinheiro. Depois da contribuição, aquele dinheiro não pertence mais a você. O valor contribuído passa a pertencer a Deus. Se ele administrar mal, o problema é dele com Deus. Não só uma contribuição financeira, mas, tudo o que fizerdes, faça com voluntariedade e com alegria. Somente assim, receberás galardão.

Quando temos a oportunidade para contribuir para Casa de Deus, ou quando passamos por uma provação, ou tentação é Deus nos dando oportunidade para ganhar galardão. Mas se por ventura, não passarmos na prova, ou na tentação e pecarmos, ou escandalizarmos, perdemos o galardão.

E até mesmos um trabalho que efetuamos para alguém - Se trabalharmos com fidelidade nós receberemos galardão (Ef 6: 5 – 7).

 

 

      

  1. COMO SERÁ O PROCEDIMENTO DO JULGAMENTO?

 

Para compreendermos o procedimento do julgamento no Tribunal de Cristo, é preciso estudar, com muito cuidado, a Primeira Epístola aos Coríntios (3: 11 – 15):

Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.

E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha,

A obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um.

Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão.

Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo.

 

Antes de estudarmos cada versículo deste texto, queremos esclarecer um mal entendido. A Igreja Católica Romana usa esta passagem, equivocadamente, para ensinar a heresia do purgatório. Mas a realidade é que o texto se trata do Tribunal de Cristo. Somente a igreja evangélica, a monoteísta tem autoridade para tratar do assunto.

 

  1. Iniciaremos este imprescindível estudo pelo versículo de número onze – DO FUNDAMENTO, A BASE, OU ALICERCE DA IGREJA: “Porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo”: O Senhor Jesus Cristo é o único fundamento da Igreja. Estamos edificados n’Ele. E este fundamento não pode ser mudado, ou trocado.

O Judaísmo e as Testemunhas de Jeová ensinam que fundamento é Deus Pai. Mas se eles pudessem crer no Novo Testamento, aprenderiam em Mateus (28: 18) e em Filipenses (2:9) que o Pai entregou ao seu Filho, Jesus Cristo, todo o Comando, todo Domínio, toda Autoridade nos céus e na terra.

O Catolicismo ensina que o fundamento da igreja é Maria. Mas se os tais fossem ler em Atos dos Apóstolos (4: 12), aprenderia que: E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.

E há centenas de outros fundamentos por aí, postos pelos homens. Mas a realidade é: Porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. É n’Ele que construímos os nossos edifícios, a saber, a nossa “Salvação”, e os nossos “Galardõses”.

 

  1. Vamos estudar o versículo de número doze – DA CLASSIFICAÇÃO DOS GALARDÕES: “E, alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha”.

Em Cristo, a nossa base, nós podemos edificar seis tipos de edifícios, ou melhor, de galardões. E para ajudar nossa melhor compreensão os teólogos os classificam assim:

 

  1. CLASSIFICAÇÃO DOS GALARDÕES

 

  • PEDRAS PRECIOSAS - Podendo ser: o diamante, as águas marinhas, os rubis, alexandritas, esmeraldas e etc.. As pedras preciosas tem durabilidade infinita – Elas não são identificadas por quem não as conhece;
  • OURO - Metal preciso amarelo, mesmo que também tem infinita durabilidade, pode ser inferior às pedras preciosas – Lembre-se, pode ser – Somente os especialistas conseguem identificar o ouro;
  • PRATA - Metal semiprecioso de cor metálica, inferior ao ouro, mas também dura infinitamente – Não é muito difícil identificar a prata;
  • MADEIRA - Árvores secas, o seu valor e durabilidade é muito inferior, com relação à prata – Qualquer pessoa identifica uma madeira facilmente;
  • FENO – Ração para animais, feito de ervas finas e secas. Armazenado para alimentar animais nas regiões semiáridas e áridas (secas) – A sua duração e valor, é bem inferior do que a madeira – O feno é, facilmente, identificado;
  • PALHA - Haste seca das gramíneas (especialmente de cereais), despojadas dos grãos e podendo ser usada na indústria como forragem – Este elemento tem uma durabilidade insignificante e não tem valor. Todos os ver e conhece.

 

  1. Estudaremos o versículo de número treze – DA FORMA DO JULGAMENTO: “a obra de cada um se manifestará, porque pelo fogo será descoberta a obra de cada um”.

Tudo o que fazemos dentro e fora da igreja, vale galardão. Exemplos: Ajudas; Adoração; Amor; Caráter; Compressão; Cooperação; Cortesia; Culto; Dízimos; Ensinamento; Equidade; Evangelismo; Generosidade; Hospitalidade; Jejum; Justiça; Lealdade; Leituras bíblicas; Louvor; Mansidão; Mão de obra na igreja; Misericórdia; Obediência, a Bíblia Sagrada; Obediência, no Senhor, aos pais; Obediência, aos líderes da igreja; Ofertas; Oração; Paciência; Pastoreio; Pedir perdão; Perdoar; Pregação; Respeito; Santidade; Serviço prestado a quem for; Sinceridade; Testemunho oral; Testemunho vivenciado; Verdade; Visitas; Votos; etc..

No Tribunal de Cristo, tudo quanto fazemos dentro e fora da igreja, irá ser manifestado. Naquele dia todos os membros da igreja, irão conhecer qual é a verdadeira essência de tudo quanto eu, você e nós fazemos. Tudo irá ser revelado. Naquele dia um fogo ardente, um fogo consumidor, irá provar todas as nossas atitudes, as nossas ações, as nossas obras.

Isto significa que os galardões de pedras preciosas, de ouro e de prata, ficarão ainda mais puro, mais belo e valioso. Mas já imaginou os galardões de madeira, em um fogo consumidor? Será que sobrará algo? É claro que não. E os galardões de feno. Isto é, ervas finas e secas – Nós sabemos muito bem, que um material assim, qualquer fogo reduza-o em cinzas rapidamente. Agora pense bem, o que será da palha? Ela será consumida, sem ter direito de nem sobrar cinzas, só com cheiro do fogo.

 

  1. Estudaremos, nesta feita, os versículos de números quatorze e quinze - DOS GANHOS E DAS PERDAS: “Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia, como pelo fogo”.

    As nossas obras (as nossas ações) no Tribunal de Cristo serão provadas (ou testadas), pelo fogo. Os teólogos afirmam que esse fogo é o fogo do Espírito Santo. Então, se trata de uma temperatura altíssima, de maneira que, o ferro, o aço, o bronze e etc. não suportariam tanta caloria.

     Mas se as nossas obras forem de pedras precisas, de ouro, ou de prata, receberemos galardões, visto que o fogo só irá deixá-los melhores. E para edificarmos esses tipos de edifícios (galardões), é necessário que nós os edificássemos com amor, fé e alegria.

                 Mas se as nossas obras forem de madeira, feno, ou palha, nós sofreríamos detrimento (prejuízo), visto que esses tipos materiais não suportam fogo algum. E para edificarmos esses tipos de edifícios (galardões), é só agirmos sem amor, sem fé, e forçado.

 

  1. PARA QUE SERVE OS GALARDÕES?

 

Biblicamente, os galardões se tratam de uma recompensa muito especial. Isto é pelo fato, deles valorizar, habilitar e legalizar os seus respectivos donos no Céu. Ao entrarmos na Gloria, Deus continua tendo, para conosco, funções e posições. Só é que desta vez vamos exercer cargos com o seu Filho Jesus Cristo. “Cristo irá julgar, e nos vamos julgar com Ele; Cristo irá reinar e nós reinaremos com Ele” (Ap 20: 4; 1ª Co 6: 2, 3). Além destas sublimes funções e posições, creio eu, que há muitas outras funções para nós na eternidade. Mas as funções e as posições celestiais são relativas aos Galardões. Conforme é a valia do galardão, será a posição e o cargo da respectiva pessoa.

Conforme a parábola das dez minas, a recompensa dos servos, era proporcional ao que eles conquistaram (Lc 19:12-26). E segundo a parábola dos talentos, a recompensa dos servos, era igualmente, adequada aos talentos que eles rederam (Mt 25: 14 – 30). Conosco também não será diferente. Conforme as nossas ações, será o nosso Galardão. É através dos nossos atos, que conquistamos o direito do galardão, a nossa recompensa eterna.

Todas as nossas contribuições financeiras na igreja; todos os nossos trabalhos na Obra Deus; todas as nossas ações, dentro e fora da igreja; são oportunidades, para conquistarmos o direito do galardão. Não somente isto, mas, quando passamos por provação, tentação e demais lutas – Tudo isto é chance que Deus nos concede para conquistarmos o direito das nossas recompensas celestiais.

Só vai depender mesmo, é de como contribuímos, trabalhamos na Obra de Deus, e agimos dentro e fora da igreja – Depende também de como passamos na prova, vencemos as tentações, e demais lutas – Tudo precisa ser efetuado com: Fé; Amor; Liberalidade; Alegria e Humildade.

Cada vez maior o galardão: Será o elogio de Cristo no Tribunal (Lc 19:17); Teremos posições privilegiadas à mesa na Ceia das Bodas do Cordeiro (Lc 12:37); Ocuparemos localização especial no retorno de Cristo, com a sua amada igreja e os santos anjos, o tempo que o Senhor apresentará ao mundo a Sua adorável esposa (Jd 14; Ap 19:14); Iremos reinar no Milênio, com o Rei dos reis e Senhor dos senhores (Lc 12:32; Ap20:4); Vamos estar, em pé, julgando, com o Juiz por excelência, no Juízo Final (Lc 21:36; 1ª Co 6: 2, 3); Cantar-nos-emos no Coral celestial; E iremos fazer tantas outras coisas com Cristo, de maneira, que excede nosso entendimento.

Mas tudo o que fazemos sem fé, sem amor; forçados; triste e exaltado perderemos o nosso precioso tempo. E estes sacrifícios, são sacrifícios de tolos. Porque eles não valem Galardões. E conforme é a facilidade de identificação da madeira, do feno e da palha, é a aparição de tais obras. As pessoas que as praticam sentem-se bem em se aparecerem (Mt 6: 2, 16).

Muitos podem até dizer: - Mas só de eu estar no Céu, basta! Prestem bem atenção: antes de Deus nos criar, Ele já tinha um propósito especial, para conosco. Nada no Universo é criado sem nenhum propósito. Certo é, Deus tem planos para nós na eternidade. E Ele sabendo que sem os, respectivos, galardões é impossível exercermos as atividades celestiais - Então o Senhor nos concede oportunidades para acumularmos os direitos de granjearmos galardões, aqui na terra.

 

  1. PREJUÍZO ETERNO

 

Mas, um salvo chegando à eternidade sem os seus galardões é uma lástima. Veja o que Paulo diz: “Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo”. Esta palavra, detrimento quer dizer Prejuízo. E a palavra tal, tem o sentido de frustrado, imprestável, vil, inútil, etc.. Já imaginou alguém viver assim no Céu? Nós já sofremos muito neste mundo. Vamos caprichar para sermos felizes no Céu. Não basta chegar lá, é preciso chegar com galardão.

 

  1. RECOMENDAÇÕES ÁUREAS:

  

Não faça algo só para alguém ver; Não faça nada forçado; Não faça algo na igreja esperando uma retribuição terrena; Faça tudo com amor; Faça tudo com fé; Faça tudo com alegria; Tenha boa vontade; Seja cordial; Sorrir para as pessoas; Faça o bem; Seja amigo sincero; Seja prestativo; Seja fiel; Seja humilde; Seja amigo.

Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor. (1ª Co 15:58).

 

 

OLIVEIRA, Dr. João Domingos Soares de, JDSO, Educação em Primeiro Lugar, Tribunal de Cristo, postado dia 18 de dezembro de 2015, disponível em: