ACB- Academia Científica do Brasil

RESSURREIÇÕES

RESSURREIÇÕES

PARA BACHARELADO EM TEOLOGIA CLIQUE AQUI

PARA GRADUAÇÃO E PÓS CLIQUE AQUI

 

Ressurreição consiste em tornar a viver, a ação de um morto ficar vivo, ressurgir, ressuscitar, ter vida novamente. É sobre este importante assunto que trataremos neste capítulo. Aos olhos de Deus, o sinal mais glorioso que existe, é a conversão de almas, ao Evangelho – Mas aos olhos humanos é a ressurreição. Todas as ressurreições que ocorreram até aqui, trouxeram grandes alegrias e esperança.

As ressurreições são importantíssimas. Mas infelizmente é um assunto pouco tratado na igreja. Elas são de suma importância, visto que, somos muito limitados neste mudo – Especialmente, concernente à morte. Então, somente através deste fenômeno miraculoso é que o ser humano possa receber tanto as maiores recompensas, como os julgamentos divinos.

Não crendo nas ressurreições, é não crer na Palavra de Deus. E automaticamente, é menosprezar as promessas divinas. Fator que entristece, grandemente, o Espírito Santo. Precisamos acreditar mais em Deus e na sua Santa e Bendita Palavra.

A incredulidade e o pouco caso, para com, as promessas de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, é a causa de muitos não conseguir entender os mistérios de Deus.

O alvo deste capítulo é fazer com que o caríssimo leitor venha crer, ainda mais, nas promessas das ressurreições e entende-las com clareza.

Há sete categorias de ressurreição em toda história da humanidade. A saber: Ressurreições Testamentárias; Ressurreições para testemunhar a divindade de Cristo; A ressurreição de Cristo; Sinais e prodígios realizados pela igreja; As ressurreições do dia do arrebatamento da igreja; As ressurreições dos israelitas; e As ressurreições do último dia.

 

  1. RESSURREIÇÕES TESTAMENTÁRIAS

 

Esta categoria de ressurreição refere-se a um milagre especial, que aconteceu para autenticar um ministério profético, ou apostólico de um homem de Deus. Com respeito a estas ressurreições houve oito ocorrências, de pessoas definidas, na Bíblia Sagrada. Estas definições são ocorridas através dos artigos definidos, a saber, “o” e “a”. Foram três ressurreições no Antigo Testamento e cinco no Novo.

As três ressurreições registradas no Antigo Testamento: 1) O filho da viúva de Sarepta – Para autenticar o mistério profético de Elias (1º Re 17: 22); 2) O filho da mulher importante de Suném - Para autenticar o mistério profético de Eliseu (2º Re 4: 35); 3) O cadáver lançado na sepultura de Eliseu – Para lembrar-se da autenticação do ministério profético do mesmo (2º Re 13: 21).

As cinco ressurreições registradas no Novo Testamento: 4) A ressurreição da filha de Jairo – Para autenticar o Ministério Terreno de Cristo (Mt 9: 25); 5) A ressurreição do filho da viúva de Naim – Para que povo se conscientizasse da Divindade de Jesus (Lc 7: 13 – 15); 6) A ressurreição de Lázaro – Para que o povo viesse entender quem era o Senhor (Jo 11: 43 - 44); 7) A ressurreição de uma discípula de Jope, chamada Tabita – Para autenticar o ministério apostólico de Pedro (At 9: 36 – 40); 8) A ressurreição de um jovem, por nome Eutico – Para autenticar o ministério apostólico de Paulo (At 20: 9 -11).

 

  1. RESSURREIÇÕES PARA TESTEMUNHAR A DIVINDADE DE CRISTO

 

Esta importante categoria de ressurreição ocorreu no momento em que Cristo entregou ao Pai o Seu Espírito, ou melhor, em que Cristo morreu na Cruz do Calvário, em nosso lugar. Nesse momento a Bíblia deixa claro: “E abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados” (Mt 27: 52, 53). Estas ressurreições aconteceram para que os discípulos do Senhor não tivessem nenhuma duvida: de que Ele é o Filho Unigênito de Deus.

Estas ressurreições foram de pessoas indefinidas. A Bíblia não revela quem foram estas pessoas. Mas diz “Muitos”. Lembre-se, não foram todos.

 

  1. A RESSURREIÇÃO DE CRISTO

 

Esta é a Ressurreição mais importante da história. Porque nela consiste a maior vitória de Cristo e dos salvos. Ela aconteceu no terceiro dia após a sua morte (Mt 16: 21; 17: 23). O qual se deu no primeiro dia da semana (Mt 28: 1-10; Mr 16: 1 – 8). Todas as demais ressurreições ocorreram e ocorrerão mediante a intercessão de segundos. Mas quanto à Ressurreição de Cristo é muito diferente das demais: Ele mesmo venceu a morte através do seu próprio Poder (Mt 28: 18); E tomou as duas chaves das mãos de satanás, a chave da morte e a do inferno (Ap 1: 18); E saiu daquele calabouço mortal, RESSURGINDO-O! Aleluia!

                                                                                                                                 

  1. SINAIS E PRODÍGIOS REALIZADOS PELA IGREJA

 

Cristo ensinou: “Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do estas; porque eu vou para meu Pai” (Jo 15: 12). Estas ressurreições acontecem para demonstrar a existência do Espírito Santo na vida da Igreja. Este tipo de ressurreição não parou, só depende da vontade de Deus.

 

  1. AS RESSURREIÇÕES DO DIA DO ARREBATAMENTO DA IGREJA

 

Quando Cristo vir Arrebatar a sua amada Igreja, Ele trará consigo os salvos que morreram com Ele (1ª Ts 4: 14). Lembre-se: Os que morreram no Antigo Testamento, não morreram com Cristo. Portanto, eles não ressurgirão nesta ressurreição. Sempre antes de um julgamento divino, há uma grande ressurreição. E o julgamento relacionado ao Arrebatamento é o Tribunal de Cristo. E os santos do AT não tinham uma Aliança com Cristo. Suas Alianças era com Deus Pai, através da Lei de Moises.

Esta é a ressurreição da igreja, ou melhor, dos fiéis do NT. Ela será a ressurreição mais linda que existe, visto que, os crentes que faleceram em Cristo, ressurgirão transformados em Glória (1ª Ts 4: 16).

Esta Ressurreição está relacionada a um mistério (1ª Co 15: 51, 52) - Assim, como o arrebatamento da Igreja. Da mesma forma que o Arrebatamento é a primeira fase da Segunda Vinda de Cristo, esta Ressurreição é a primeira fase da Primeira Ressurreição. Lembre-se, assim como o Arrebatamento da Igreja, não é a Segunda Vinda de Cristo, esta Ressurreição não é a Primeira Ressurreição - A qual, só acontecerá depois da Grane Tribulação e início do Milênio (Ap 20: 4, 5).

 

  1. A PRIMEIRA RESSURREIÇÃO

 

Deus é esterno, portanto, infinito, e o ser humano é limitado e finito, por essa causa, sempre antes de um Julgamento Divino, é preciso haver uma grande ressurreição. Exemplos: Antes do Tribunal de Cristo, julgamento da Igreja, haverá uma muito grande Ressurreição (1ª Ts 4: 13 – 15). E antes do Juízo Final haverá a maior Ressurreição da história (Ap 20: 11 – 15). Portanto, antes do Julgamento das Nações, há uma grande ressurreição, denominada, Primeira Ressurreição (Ap 20: 4 – 6). Ela acontecerá depois da Grande Tribulação (Dn 12: 1; Ap 20: 3. 4).

Esta Ressurreição é relativa ao povo da Aliança com Deus no Antigo Testamento. E como a Grande Tribulação é a Septuagésima Semana de Daniel, portanto, os últimos sete anos do Antigo Testamento que estava faltando, quem morrer nessa época, por amor a Cristo e sua Palavra, também serão ressuscitados (Ap 20: 4).

Dois grupos de pessoas serão ressuscitados na Primeira, a saber: Todos os israelitas, salvos, ou não (Dn 12: 2); E os santos da Tribulação – Estes são como o próprio nome já diz: santos, isto quer dizer que só são salvos (Ap 20: 4 – 6).

Confira: “E, naquele tempo, se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levante pelos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angustia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas, naquele tempo, livrar-se-á o teu povo, todo aquele que se achar escrito no livro.” “E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno”.

 

 

  1. DIFERENÇAS ENTRE ESTES DOIS POVOS - ISRAEL E IGREJA

 

Muitos chegam até ensinarem que somos Israel, mais isto não tem nada haver com o que a Bíblia ensina. Em níveis espirituais, há três povos na face na terra. A saber: Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus”. (1ª Co10: 32). Judeus, representam todos os israelitas, os hebreus – A descendência biologica de Abraão. Gregos, reprasenta todos os gentios – Todas as naçoes, ecxetuando, Israel. A Igreja é um povo composto por judeu, ou gentil quando se convertem ao evangelho – Descendência espiritual de Abraão.

Nós não somos Israel. Samos Igreja. Vamos iniciar pelas as diferencias nas responsabilidades diante de Deus entre Israel e a Igreja. Os hebreus tinham um pacto com Deus através da Lei de Moisés (Dt 17: 18 - 20); a Igreja tem um pacto diretamente, com Cristo (1ª Co 11: 25) - Os hebreus não receberam a Cristo (Jo 1: 11); e a igreja O recebeu (Jo 1: 12) - Segundo a Lei, os hebreus poderiam se vingar dos seus inimigos (Êx 21: 23 - 27); e a Igreja precisa bem dizer os seus (Mt 5: 43 - 47) - Os hebreus poderiam se casar com quantas mulheres quisessem (2º Sm 12: 8); e na Igreja os seus membros só podem ter um (a) cônjuge (a) (1ª Co 7: 11) - Os hebreus poderiam se embriagar (Dt 14: 26); os membros da igreja só podem embriagar do Espírito Santo (Ef 5: 18).

 

  1. DISTINÇÕES ENTRE AS PROMESSAS DE DEUS PARA COM ISRAEL E PARA COM A IGREJA

 

Os salvos do AT têm a promessa da conquista a terra (Gê 17: 8); e a Igreja, tem a promessa de conquistar o Céu (Fl 3: 20) - Israel tem a promessa da Vinda de Cristo (Mt 24: 29 -31); Igreja tem a promessa do arrebatamento (1ª Ts 4: 13 - 18) - Na eternidade Israel tem a promessa de herdar Nova Terra Is (66: 22, 23). Estes novos céus diz respeito ao primeiro e ao segundo céu. Isto é, atmosfera e espaço sideral; e a Igreja tem a promessa de herdar a Nova Jerusalém (Fl 3: 20,21; Ap 21: 10 - 27).

Porque até então, você não iria pensar que os polígamos, os que têm liberdade para vingar (até tirar vidas) e se embriagar; teria a mesma herança dos monógamos, dos que não pode tirar a vida e dos sóbrios. Não é mesmo?        

 

Então vamos lá: a ressurreição dos israelitas:

           Esta Ressurreição ocorrerá após a Grande Tribulação. Confira: “E naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro. E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno” (Dn 12: 1, 2).

Essa Ressurreição acontecer-se-á depois Vinda de Cristo, com sua Igreja e com os Santos Anjos (Ap 19: 11 14). Como todos os julgamentos divinos é preciso haver antes uma ressurreição. Essa é para o Julgamento das Nações (Mt 27: 31 – 33). Após este julgamento, os justificados povoarão o Milênio (Mt 27: 34).

 

  1. AS RESSURREIÇÕES DO ÚLTIMO DIA

 

Esta Ressurreição é a maior de todas as ressurreições. Nela ressuscitarão os mortos ímpios desde os tempos Adão, junto com os milenistas que morreram. Ela ocorrerá aproximadamente, mil e sete anos após a ressurreição dos salvos, pertencentes à igreja; e acerca de mil anos após a ressurreição dos Santos dos israelitas. Eles ressurgirão para o Juízo Final (Ap 20: 5).

            Entretanto, é de suma importância entendermos acerca das ressurreições. Não se trata de tarefa fácil, mas com a ajuda do Espírito Santo, e muita dedicação dá para compreendermos. Certo é, precisamos estar por dentro das promessas de Deus. E não sejamos analfabetos com as coisas divinas.

 

 

OLIVEIRA, Dr. João Domingos Soares de, JDSO, Educação em Primeiro Lugar, Ressurreições, postado dia 18 de dezembro de 2015, disponível em: